12/10/12

Conquista


Debruçado sobre teus olhos,
ainda ofegante de escalar alturas
e preso ainda aos teus cabelos para não cair,
eu me punha a f alar como sonâmbulo
num deslumbramento de vertigem…

E então tu me apertavas contra o seio,
como se eu acabasse de ser salvo
em tua vida,
e me revelavas que aquelas palavras que eu dizia
sem nexo, como um tonto,
não eram palavras
eram poesia...


J.G. de Araújo 




2 comentários:

  1. Lindo o poema.

    Estou finalmente de volta!

    É muito bom voltar aqui!

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aleluia Hugo!!! até que enfim, espero que esteja tudo bem contigo. È bom saber que estás de volta
      beijinhos

      Eliminar