18/03/16

Pérola solta


Sem que eu a esperasse, 
Rolou aquela lágrima 
No frio e na aridez da minha face. 
Rolou devagarinho..., 
Até à minha boca abriu caminho. 
Sede! o que eu tenho é sede! 
Recolhi-a nos lábios e bebi-a. 
Como numa parede 
Rejuvenesce a flor que a manhã orvalhou, 
Na boca me cantou, 
Breve como essa lágrima, 
Esta breve elegia. 


José Régio

13/03/16

Os versos que te fiz


Deixa dizer-te os lindos versos raros 
Que a minha boca tem para te dizer! 
São talhados em mármore de Paros 
Cinzelados por mim para te oferecer. 
 
Têm dolência de veludos caros, 
São como sedas pálidas a arder... 
Deixa dizer-te os lindos versos raros 
Que foram feitos para te endoidecer! 
 
Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda... 
Que a boca da mulher é sempre linda 
Se dentro guarda um verso que não diz! 
 
Amo-te tanto! E nunca te beijei... 
 nesse beijo, Amor, que eu te não dei 
Guardo os versos mais lindos que te fiz! 


                              Florbela Espanca, Livro de Mágoas (1919)