23/04/10

Outros Tempos


Acontece -me muitas vezes, depois de um dia de trabalho, de toda a agitação e correria constante nos transportes para chegar ao emprego, e chegada a hora de regressar a casa feita num oito, poder descalçar-me finalmente, vestir algo confortavél, jantar, acabar os afazeres e por fim me sentar no sofá e ter o merecido descanso. Então é aí, que me ponho a pensar noutros tempos!!!


Como se vivia há 25 anos atrás, como a vida das pessoas era sem dúvida mais calma, sem o stress que muito se fala hoje e que já considerado uma " doença " e que toda a gente sofre desse efeito. As pessoas cada vez têm menos descanso, deitam-se cada vez tarde e levantam -se muito mais cedo, e quem tem filhos ainda pequenos é ainda mais complicado... qual é a disponibilidade de tempo desses pais para estarem com seus filhos e lhes dar a devida atenção, quer a nível educativo, como nos seus tempos livres. Nenhuma!!!


Outra situação que vejo hoje e não acontecia naquele tempo, pelos menos não com a dimensão que hoje estamos a atravessar, é a falta de trabalho. Vejo isso por mim, que naquele tempo arranjava-se emprego com facilidade e a possibilidade de mudar com outra facilidade, coisa que hoje é complicado e não existe. Estes são os tempos em que vivemos, tempos de miséria, desanimo, e tristeza. É a sociedade que temos, e somos nós " povo " que pagamos sempre tudo.

Enfim! Espero, e tenho esperança que dias melhores viram.

20/04/10

Se tu me viesses ver-me


Florbela Espanca...


Se tu viesses ver-me hoje á tardinha,

A essa hora dos mágicos cansaços,

Quando a noite de manso se avizinha,

E me prendesses toda nos teus braços.


Quando me lembra; esse sabor que tinha

A tua boca... o eco dos teus passos...

O teu riso de fonte... os teus abraços...


Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,

Traça as linhas dulcíssimas dum beijo

E é de seda vermelha e canta e ri


E é como um cravo ao sol a minha boca...

Quando os olhos se me cerram de desejo...

E os meus braços se estendem para ti...

Fernando Pessoa

Um poeta e escritor que particularmemte gosto muito. Deixo aqui uma das bonitas poesias dele...

Sou um guardador de rebanhos,
O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.

Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.

Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la
E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de gozá-lo tanto,
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes, sinto todo o meu
corpo deitado na realidade.
Sei a verdade e sou feliz

19/04/10