07/10/11

Budismo... é uma religião e filosofia não-teísta.



Como nasceu o Budismo?

O Budismo nasceu há 2500 anos na Índia. O seu fundador, o Buda histórico, nasceu príncipe na família dos Shakya. Aos 29 anos renunciou ao reino para procurar respostas aos problemas essenciais da humanidade.
Depois de seis anos de estudo junto de alguns Mestres e de meditação solitária na floresta, atingiu a Libertação ou Iluminação. Buda não é um deus nem um profeta. Buda é um estado que qualquer ser humano tem o potencial de alcançar.


Como definir o Budismo?
Contrariamente a muitas outras religiões, o Budismo é não teísta. Quer isto dizer que não contempla e existência de um Deus criador e se preocupa sobretudo em resolver os problemas humanos essenciais.
Os Budistas tibetanos designam-se a si próprios nangpa, "aqueles que procuram dentro de si". Na verdade o budismo é uma via de busca e aperfeiçoamento espiritual.
O seu carácter aberto e não dogmático leva cada vez mais pessoas a considerá-lo como uma filosofia, uma arte de vida e mesmo, segundo a opinião de muitos Mestres budistas contemporâneos, uma ciência do espírito.


Qual é o objectivo do Budismo?
Todos os seres procuram a felicidade. Essa busca rege todos os nossos actos e é a finalidade essencial da nossa vida. O objectivo do Budismo é permitir aos homens alcançar a serenidade e a paz mediante a transcendência do sofrimento. A finalidade é o Estado de Buda, um estado de total liberdade e serenidade.


Quais são os princípios de base do Budismo?
O próprio Buda definiu o seu ensinamento nestes termos:
não cometer acções negativas
realizar acções positivas
ter mestria sobre o espírito.
Um dos princípios essenciais do Budismo é o princípio de não-violência e de respeito por todas as formas de vida.
Conceitos como o de karma, ou lei da causalidade dos nossos actos, e o de renascimento, ou de uma continuidade da consciência numa sucessão de vidas, são também princípios fundamentais da sua filosofia.


Quais são os métodos do Budismo?
Todos os métodos e técnicas budistas desenvolvidos ao longo dos últimos dois mil e quinhentos anos baseiam-se na combinação equilibrada de dois aspectos: a Sabedoria e a Compaixão.
A Compaixão é o desenvolvimento das qualidades de solidariedade, amor e não partidarismo do espírito humano, abrindo-nos para os outros e para nós mesmos. O resultado é a experiência directa da natureza do mundo e do nosso espírito

05/10/11

Barco Negro


De manhã temendo que me achasses feia,
acordei tremendo deitada na areia,
mas logo os teus olhos disseram que não
e o sol penetrou no meu coração.

Vi depois, numa rocha, uma cruz,
e o teu barco negro dançava na luz;
vi teu braço acenando, entre as velas já soltas.
Dizem as velhas da praia que não voltas...

São loucas! São loucas!
Eu sei, meu amor,
que nem chegaste a partir,
pois tudo em meu redor
me diz que estás sempre comigo.

No vento que lança areia nos vidros,
na água que canta, no fogo mortiço,
no calor do leito, nos bancos vazios,
dentro do meu peito estás sempre comigo.

David Mourão Ferreira





Ternura


Desvio dos teus ombros o lençol
que é feito de ternura amarrotada,
da frescura que vem depois do sol,
quando depois do sol não vem mais nada...

Olho a roupa no chão: que tempestade!
há restos de ternura pelo meio,
como vultos perdidos na cidade
em que uma tempestade sobreveio...

Começas a vestir-te, lentamente,
e é ternura também que vou vestindo,
para enfrentar lá fora aquela gente
que da nossa ternura anda sorrindo...

Mas ninguém sonha a pressa com que nós
a despimos assim que estamos sós!


David Mourão Ferreira

Números

 Desiguais as contas:
para cada anjo, dois demónios.
Para um só Sol, quatro Luas.
Para a tua boca, todas as vidas.
Dar vida aos mortos
é obra para infinitos deuses.
Ressuscitar um vivo:
um só amor cumpre o milagre.

Mia Couto

O Canto do Mar


 As ondas quebravam uma à uma
Eu estava só com a areia e com a espuma
E o mar que cantava só para mim as mais belas
Canções de embalar.


Anjos ao Vento


No mar passa de onda em onda repetido
O meu nome fantástico e secreto
Que só os anjos do vento reconhecem
Quando os encontro e perco de repente

Sophia de Mello

Dia do Mar


Dia do mar do meu quarto – cubo
Onde os meus gestos sonâmbulos deslizam
Entre o animal e a flor como medusas.
Dia do mar no ar, dia alto
Onde os meus gestos são gaivotas que se perdem
Rolando sobre as ondas, sobre as nuvens.

Sophia de Mello

Secreto bailar do meu sonho

Mar sonoro, mar sem fundo mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós.
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim.

Sophia de Mello



04/10/11

Memórias de Infãncia



Quando somos crianças temos a tendência de imitar nossos pais. Neste caso, eu como menina gostava das roupas que a minha mãe usava. Ela arranjava-se muito bem e tinha bonitos e elegantes sapatos de salto alto que eu  gostava de os calçar. Sempre que ela não estava em casa lá ia eu calçar os belos sapatos e andar pela casa fora com eles. Sentia-me uma mulher adulta como ela... Outra das coisas que eu gostava de ver, era quando ela se pintava quando  iamos sair. Não era uma pessoa de usar muita maquilagem na cara, ela tinha uma pele muito bonita e aveludada, usava só baton vermelho nos lábios, e pó de arroz nas faces, e ficava linda. Então novamente lá ia eu quando ela não estava em casa, pôr-me em frente ao espelho da casa de banho pôr o baton que tinha um sabor maravilhoso, e o pó de arroz que igualmente cheirava tão bem. Ali ficava eu a deliciar-me com tudo aquilo. São estas lembranças  boas que me faz reviver a minha infância e ao mesmo tempo ter essas imagens muito vivas na minha mente.

Procuro...


Procura-se um homem. Um homem que não tema a ternura. Que se atreva a ser frágil quando necessite se deter para recuperar as forças para a luta diária.

Um homem que saiba proteger o ser a quem devotar o seu amor. Um homem que queira e saiba reconhecer os valores espirituais e que sobre eles saiba construir todo um mundo.

Um homem que, em cada amanhecer, saiba ofertar amor com toda a delicadeza para que uma flor entregue com um beijo tenha mais valor que uma joia.

Procura-se um homem com o qual se possa falar, que jamais corte a ponte de comunicação. Um homem a quem se possa dizer o que se pensa, sem temor de que se ofenda e que seja capaz de dizer a sua esposa, namorada ou mãe que a ama.

Procura-se um homem que tenha braços abertos para que sua amada neles possa se refugiar quando se sentir insegura. Que conheça sua fortaleza, mas que nunca se aproveite disso.

Um homem que tenha os olhos abertos para a beleza. Que domine o entusiasmo e que ame intensamente a vida. Um homem para quem cada dia seja um presente de valor incalculável que deve ser vivido plenamente, aceitando a dor e a alegria com igual serenidade.

Um homem que saiba ser sempre mais forte que os obstáculos. Que jamais se apavore ante a derrota e para quem os contratempos sejam mais estímulos que adversidade, mas que esteja tão seguro de seu poder que não sinta necessidade de demonstrá-lo a cada minuto em empreendimentos absurdos somente para prová-lo.

Um homem que não seja egoísta. Que não peça o que não ganhou, mas que sempre faça esforços para ter o melhor.

Um homem que saiba receber carinho, tanto quanto demonstrá-lo.

Um homem que não tenha medo de amar, nem que se envaideça porque é amado. Que goze o minuto como se fosse o último. Que não viva esperando o amanhã porque talvez ele nunca chegue.

Finalmente, quando este homem for encontrado, qualquer mulher o desejará amar com intensidade e com ele compartilhar a sua vida.
 


02/10/11

Fantástico tema.

Grande Banda... Fabulosos

Uma voz, um cantor que gosto bastante.

Há Lugares...


Há lugares que não são apenas sítios onde vivemos,
são parte da nossa vida, são a nossa vida.
Uma cidade um lugar onde nascemos, ali ficaram
  parte das nossas lembranças e outras tantas de saudades.
São passagens da nossa juventude que partilhámos com amigos,
 familia, vizinhos, e outras tantas pessoas que fizeram parte dela
e que nunca vamos esquecer, pois ficam na nossa mente como um retrato vivo..


Mar Sem Fim.

A minha alma è feita de maresia
do cheiro infinito a mar salgado,
das ondas que rebentam na fina areia,
da espuma branca que me envolve num abraço.
das ondas que me levam ao sabor do vento.
do pôr do sol que penetra num profundo olhar.
Quero sentir,
Quero ouvir,
 Quero saborear.
Sou uma sereia no meu mais profundo sonho,
o meu mundo, o meu oceano sem fim.
 
Nanda
 

De ser o som do amor tão enleado


De ser o som do amor tão enleado
em cristalinas veias,
em palavras suaves, em recantos
que são gestos bem vivos e são letras
de irradiante lume,
havia este destino que era um lábio
a arder na vastidão de descobrir
o lugar onde ardia este esperar-te.

João Rui de Sousa