23/06/12

Elogio ao amor (Miguel Esteves Cardoso )


 "impressionante a Verdade das pequenas coisas!"
Há coisas que não são para se perceberem. Esta é uma delas. Tenho uma coisa para dizer e não sei como hei-de dizê-la. Muito do que se segue pode ser, por isso, incompreensível. A culpa é minha. O que for incompreensível não é mesmo para se perceber. Não é por falta de clareza. Serei muito claro. Eu próprio percebo pouco do que tenho para dizer. Mas tenho de dizê-lo.

O que quero é fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão. Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado. Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria.

Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e à mínima merdinha entram logo em "diálogo". O amor passou a ser passível de ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios. Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões. O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática. O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.

Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço. Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje. Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de telefoneiros e capangas de cantina, malta do "tá bem, tudo bem", tomadores de bicas, alcançadores de compromissos, bananóides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas. Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo?

O amor é uma coisa, a vida é outra. O amor não é para ser uma ajudinha. Não é para ser o alívio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida, o nosso "dá lá um jeitinho sentimental". Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos. Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice, facada, abraços, flores. O amor fechou a loja. Foi trespassada ao pessoal da pantufa e da serenidade. Amor é amor. É essa beleza. É esse perigo. O nosso amor não é para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode. Tanto faz. É uma questão de azar.

O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto. O amor é uma coisa, a vida é outra. A vida às vezes mata o amor. A "vidinha" é uma convivência assassina. O amor puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe. Não é para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende.

O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser. O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida. A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem. Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz. Não se pode ceder. Não se pode resistir. A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a Vida inteira, o amor não. Só um mundo de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também.”



Árvore Baobá

Baobá é a árvore nacional de Madagascar (o maior centro de diversidade, com seis espécies), África (é o emblema  nacional do Senegal) e na Austrália.





A beleza dos pássaros  sempre nos encantam, com seu encanto e suas cores, esta espécie de coruja também nos surpreende com sua bela plumagem.
A coruja barrada é uma das 4 espécies com olhos escuros que é também conhecida como coruja listrada. Espécie nativa do Canadá, Estados Unidos e México.Seu peito é modelado com barras horizontais brancas e barras verticais na barriga, intercalando cores que vai do marrom, bege e branco. Seus olhos, redondos discos faciais chamam atenção.


Gavião real, também conhecido como harpia é uma das maiores aves de rapina do mundo e considerada a mais forte. Pode atingir 1,15 m de comprimento e 2,5 m de envergadura. Possui garras grandes e possantes, com as quais captura animais de certo porte tais como macacos e preguiças, seus principais alimentos, que captura na copa das árvores. Devido à caça e à destruição do habitat, este belo gavião está quase extinto fora da Amazónia.

Borboletas são consideradas o inseto mais bonito e fascinante.









Fé é um oásis no coração que nunca será alcançado pela caravana do pensamento.
 Vivemos só para descobrir beleza. Todo o resto é uma forma de espera.

20/06/12

Explicação da Eternidade

Devagar, o tempo transforma tudo em tempo.
o ódio transforma-se em tempo, o amor
transforma-se em tempo, a dor transforma-se
em tempo.
os assuntos que julgámos mais profundos,
mais impossíveis, mais permanentes e imutáveis,
transformam-se devagar em tempo.

por si só, o tempo não é nada.
a idade de nada é nada.
a eternidade não existe.
no entanto, a eternidade existe.

os instantes dos teus olhos parados sobre mim eram eternos.
os instantes do teu sorriso eram eternos.
os instantes do teu corpo de luz eram eternos.

foste eterna até ao fim.
José Luis Peixoto

19/06/12

O Racismo continua!!!


Morreu Rodney King

Rodney King, o homem que sobreviveu ao espancamento por polícias de Los Angeles, foi encontrado morto no fundo de uma piscina.

Rodney King, o ex-taxista de 47 anos, que se transformou em símbolo da brutalidade policial norte-americana após ter sido espancado em Los Angeles, foi encontrado morto domingo, pela namorada, no fundo de uma piscina.
Em 1991, Rodney King foi agredido por agentes do LAPD (Los Angeles Police Department), alegadamente por motivos racistas. O incidente foi filmado por um vídeo-amador que passava pelo local, e correu o mundo. O seu espancamento transformou-o em símbolo das tensões raciais dos EUA nos anos 90 do século passado.
Passados 20 anos, Rodney King disse que o racismo ainda precisa de ser vencido no país. "Sempre haverá algum tipo de racismo. Mas cabe-nos a nós, como indivíduos, olhar para trás e ver todas as conquistas até agora".



Rio+20 debate o futuro do desenvolvimento sustentável

A Rio+20, Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, reúne 50 mil pessoas no Rio de Janeiro entre 13 e 22 de junho e realiza-se 20 anos depois da Rio-92, a cimeira mundial que consagrou o conceito de desenvolvimento sustentável.


18/06/12



Elemento: Ar / Regente: Mercúrio

Um signo que vale por 2 bem no mínimo.

Na verdade estamos a falar de seres fascinantes na sua mutabilidade e inteligência rápida. São pessoas extremamente cerebrais, de raciocínio rápido e com uma enorme facilidade de expressão. E se pensam rápido, agem ainda mais rapidamente. Não têm nenhuma paciência para lidar com indecisos. Aliás, a impaciência é outra das suas características mais marcantes.
A sua capacidade de adaptação é absolutamente fantástica. São capazes de mudar de vida como quem muda de roupa, e sem pestanejar, pois na verdade precisam de mudar como precisam de beber água.

Gostam imenso de viver o presente e não são muito dados a fazerem planos e projectos a longo prazo. O importante é o aqui e o agora, o depois fica mesmo para depois. Como cerebrais que são, apreciam e reverenciam a inteligência alheia e não se sentem diminuídos com isso. Apreciam incentivam e estimulam a inteligência dos outros. A mulher de Gémeos é muito imaginativa e mantém um lado muito infantil,

Os Gémeos definem-se pela sua intelectualidade. Adoram interagir, investigar, procurar, aprender e comunicar. A comunicação é muito valorizada por estes nativos. Os Gémeos são extremamente expressivos, e usam a comunicação para se manifestarem de uma maneira efusiva e entusiasta que só eles sabem.
São os mais versáteis de todos os signos da Roda Astrológica. A vida é uma grande roda-viva e tem que ser vivida a 100%. A monotonia é enfastiante portanto, tudo é vivido como se não houvesse amanhã. Inteligentes, amáveis, carinhosos, generosos, optimistas, pensativos. Adoram amar e serem amados




Obsidade

A população humana adulta agora pesa 287 milhões de toneladas, 15 milhões dos quais é devido ao excesso de peso e 3,5 milhões devido à obesidade. 
A população humana está a ficar demasiado pesada para a Terra, de acordo com o primeiro estudo para calcular o impacto nossas cinturas crescentes estão a ter sobre o meio ambiente.
O estudo será lançado no maior de sempre conferência das Nações Unidas, a Rio +20, em que 194 nações estão trabalhando para uma série de novos acordos internacionais sobre desenvolvimento sustentável.
A nova pesquisa, publicada na revista Saúde Pública BMC, elaborou um 'ranking' das 'gordas' nações que têm a maior fatia da obesidade.
Os Estados Unidos são a maior nação da Terra, se você está só pesando os seres humanos adultos. Enquanto a massa corporal média global foi de 62 kg, os norte-americanos pesam 80,7 kg. Apesar de apenas fazer-se cinco por cento da população mundial, os EUA respondem por quase um terço do peso devido à obesidade do mundo. Em contraste a Ásia tem 61 por cento da população mundial, mas apenas 13 por cento do peso devido à obesidade do mundo.