01/10/10

ATRAVÉS DE UM OLHAR



Um olhar pode falar, dizer quase tudo
Diz o que vai no coração só porque o olhar é mudo.
Um olhar fala por nós, diz-nos o que queremos ouvir.
Ele pode fazer-nos tremer
E pode fazer-nos sorrir.

Um olhar diz-nos palavras, doces, ternas
que enche-nos o coração
Faz-nos sentir desejadas, e como por
magia desperta-nos a paixão.

Um olhar diz-nos o que nos vai na alma
O que vai no coração.
 Diz-nos quase tudo
Alegria, tristeza,dôr,
Saudade, e amor



29/09/10

A GENTE SE ACOSTUMA MAS NÃO DEVIAMOS



A gente se acostuma a morar em apartamento e não ver a vista que não sejam as janelas ao redor. E porque não tem vista logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz, á medida que se acostuma, se esquece do sol, se esquece do ar, esquece da beleza ao seu redor.



A gente se acostuma a acordar sobressaltado porque está na hora. A tomar café a correr porque está atrasado. A ler o jornal no transporte porque não pode perder tempo. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite, dormir no autocarro porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.


A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra, a miséria, a politica, A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisa tanto ser visto.
A gente se acostuma a pagar por tudo o que se deseja e necessita. E a lutar para ganhar com que pagar as suas contas. Se acostuma a estar em filas e esperar e esperar. A não reclamar do que está verdadeiramente mal. E a ganhar menos do que precisa. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro.


A gente se acostuma à poluição, às salas fechadas de ar condicionado e ao cheiro de cigarros. À luz artificial. Ao choque que os olhos levam à luz natural. À contaminação da água do mar. À morte lenta dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinhos.
A gente se acostuma a coisas demais para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá.


Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem muito sono atrasado.A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que, de tanto acostumar, se perde de si mesma.




27/09/10

O Meu Corpo no Teu





Esperas pelo tempo, na vontade que este te leve até mim. Seguras entre tuas mãos o gosto suave do meu corpo, essência minha que em ti deixei. Á noite olhas as estrelas, perguntas-te qual delas tem o meu brilho, onde habita o meu corpo, lágrima solta que se desprende na saudade de me teres bem perto de ti.

Olho-te, longe, como única estrela em meu firmamento, aqui apenas tu reflectes nela o teu olhar. O teu amor sustenta o meu corpo, alimento puro, que na distância mata a sede, absorve a tristeza e me dá a esperança que guardo em meu peito.

Recebo o toque suave de teus dedos, as palavras e frases que recolho e guardo em mim como tesouro escondido, como sonho que me atrevo a sonhar acordada. Sopro com a suavidade da tua pele o amor que ofereço pelas formas que recordo ainda do teu corpo que tanto me delicío e amo.
O tempo espera-nos mais adiante, no caminho do nosso destino, para juntar o dia e a noite,
o teu corpo e o meu.