17/09/11

Que Mulher é Essa?


Que mulher é essa
que não se cansa nunca,
que não reclama nada,
que disfarça a dor?
Que mulher é essa
que contribui com tudo,
que distribui afecto,
tira espinhos do amor!
Que mulher é essa
de palavras leves,
coração aberto,
pronta a perdoar?
Que mulher é essa?
que sai do palco,
ao terminar a peça,
sem chorar!
Essa mulher existe,
sua doçura resiste,
às dores da ingratidão.
Resiste à saudade imensa,
resiste ao trabalho forçado,
resiste aos caminhos do não!
Essa mulher é MÃE,
linda, como todas são.
(Ivone Boechat)

Amanhecer


Levanta a cortina dos teus olhos,
contempla a maravilha do amanhecer.
A vida é uma criança,
esperta, bonita, inteligente
passa correndo, é preciso ver.
Acredita, enquanto há tempo:
não existe dor sem alento
nem tristeza tão longe da alegria
quando a luz de cada dia,
acende a vida,
iluminando o amanhecer
não vacila, toma posse
da imensa alegria de viver.

(Ivone Boechat)

Bonita esta musica...

15/09/11

A Mulher



Se é clara a luz desta vermelha margem
é porque dela se ergue uma figura nua
e o silêncio é recente e todavia antigo
enquanto se penteia na sombra da folhagem.

Que longe é ver tão perto o centro da frescura
e as linhas calmas e as brisas sossegadas!
O que ela pensa é só vagar, um ser só espaço
que no umbigo principia e fulge em transparência.
Numa deriva imóvel, o seu hálito é o tempo
que em espiral circula ao ritmo da origem.

Ela é a amante que concebe o ser no seu ouvido, na corola
do vento. Osmose branca, embriaguez vertiginosa.
O seu sorriso é a distância fluida, a subtileza do ar.
Quase dorme no suave clamor e se dissipa
e nasce do esquecimento como um sopro indivisível.
~António Ramos Rosa~

Cada Árvore é um Ser Para ser em Nós

                                                  
 Cada árvore é um ser para ser em nós.
Para ver uma árvore não basta vê-a,
a árvore é uma lenta reverência
uma presença reminiscente
uma habitação perdida
e encontrada.
À sombra de uma árvore
o tempo já não é o tempo
mas a magia de um instante que começa sem fim
a árvore apazigua-nos com a sua atmosfera de folhas
e de sombras interiores
nós habitamos a árvore com a nossa respiração
com a da árvore
com a árvore nós partilhamos o mundo com os deuses

(António Ramos Rosa)




Meu Amor Não Cabe Num Poema...



O meu amor não cabe num poema ― há coisas assim,
que não se rendem à geometria deste mundo;
são como corpos desencontrados da sua arquitectura
os quartos que os gestos não preenchem.

O meu amor é maior que as palavras; e daí inútil
a agitação dos dedos na intimidade do texto ―
a página não ilustra o zelo do farol que agasalha as baías
nem a candura a mão que protege a chama que estremece.

O meu amor não se deixa dizer ― é um formigueiro
que acode aos lábios com a urgência de um beijo
ou a matéria efervescente os segredos; a combustão
laboriosa que evoca, à flor da pele, vestígios
de uma explosão exemplar: a cratera que um corpo,
ao levantar-se, deixa para sempre na vizinhança de outro corpo.

O meu amor anda por dentro do silêncio a formular loucuras
com a nudez do teu nome ― é um fantasma que estrebucha
no dédalo das veias e sangra quando o encerram em metáforas.

Um verso que o vestisse definharia sob a roupa
como o esqueleto de uma palavra morta. nenhum poema
podia ser o chão a sua casa.


Maria do Rosário Pedreira





14/09/11

Mãos

 
 
Ai, tuas mãos carregadas de rosas! São mais puras
tuas mãos do que as rosas. E entre as folhas brancas,
surgem como se fossem estilhaços de estrelas,
asas de mariposas alvas, sedas cândidas.

Caíram-te da Lua? Ou acaso brincaram
numa Primavera celestial? São de alma?
... Têm vago esplendor de lírios de outro mundo;
deslumbram o que sonham, refrescam o que cantam.

Minha fronte serena-se, como um véu vespertino,
quando tu com as tuas mãos entre suas nuvens andas;
se as beijo, a púrpura brasa desta boca
empalidece do seu branco de pedra de água.

Tuas mãos entre sonhos! Atravessam, quais pombas
de fogo branco, minhas visões turvas,
e, na aurora, abrem-me, como com luz de ti,
a claridade suave do oriente de prata.

Juan Ramón Jimenez







Regresso



As mil torres do mundo contra um ocaso de ouro
erguem sua beleza em frente ao meu pensamento.
Um êxtase de pedra de mil arquitecturas,
leva-me num deslumbramento, mudo e cego.

Por trás de mim, tomba o sol, rubro e cálido.
Está deserto o robe, meu rei é o silêncio.
E por altas areias, passo a passo, caminho

rumo à claridade de um horizonte eterno.

E... um aroma confuso de datas e de cifras,
vai-me, entre luz e sombra, raramente envolvendo...
Caiu a tarde... de hoje... segunda-feira... Agosto...
e chora..., humilde e pobre, um Angelus... de aldeia.


" Juan Ramón "





DEUS


À noite, há um ponto do corredor
em que um brilho ocasional faz lembrar
um pirilampo. Inclino-me para o apanhar
- e a sombra apaga-o. Então,
levanto-me: já sem a preocupação
de saber o que é esse brilho, ou
do que é reflexo.
Ali, no entanto, ficou
uma inquietação; e muito tempo depois,
sem me dar conta do motivo autêntico,
ainda me volto no corredor, procurando a luz
que já não existe.

( Nuno Júdice )

Anúncios de Outros Tempos... Antiguidades





Paixão ...


O melhor amor é aquele que acorda a alma

e nos faz querer mais,

que coloca fogo em nossos corações

e traz paz as nossas vidas,

foi isso que tu fizeste comigo,

é esse amor, essa paixão que eu quero ter contigo para sempre...







13/09/11

Mais Antiguidades Para Ver...





Ao ver estas imagens dá-me saudades. Tais como estes anúncios que eram bem mais engraçadas.

Carta (Esboço)



Lembro-me agora que tenho de marcar um
encontro contigo, num sítio em que ambos
nos possamos falar, de facto, sem que nenhuma
das ocorrências da vida venha
interferir no que temos para nos dizer.

-Muitas vezes me lembrei de que esse sítio podia
ser, até, um lugar sem nada de especial,
como um canto de café, em frente de um espelho
que poderia servir de pretexto
para reflectir a alma, a impressão da tarde,
o último estertor do dia antes de nos despedirmos,
quando é preciso encontrar uma fórmula que
disfarce o que, afinal, não conseguimos dizer.
-É que o amor nem sempre é uma palavra de uso,
aquela que permite a passagem à comunicação;
mais exacta de dois seres, a não ser que nos fale,
de súbito, o sentido da despedida, e que cada um de nós
leve, consigo, o outro, deixando atrás de si o próprio
ser, como se uma troca de almas fosse possível
neste mundo.
-Então, é natural que voltes atrás e
me peças: «Vem comigo!», e devo dizer-te que muitas
vezes pensei em fazer isso mesmo, mas era tarde,
isto é, a porta tinha-se fechado até outro
dia, que é aquele que acaba por nunca chegar, e então
as palavras caem no vazio, como se nunca tivessem
sido pensadas.
-No entanto, ao escrever-te para marcar
um encontro contigo, sei que é irremediável o que temos
para dizer um ao outro: a confissão mais exacta, que
é também a mais absurda, de um sentimento; e, por
trás disso, a certeza de que o mundo há-de ser outro no dia
seguinte, como se o amor, de facto, pudesse mudar as cores
do céu, do mar, da terra, e do próprio dia em que nos vamos
encontrar, que há-de ser um dia azul, de verão, em que
o vento poderá soprar do norte, como se fosse daí
que viessem, nesta altura, as coisas mais precisas,
que são as nossas: o verde das folhas e o amarelo
das pétalas, o vermelho do sol e o branco dos muros.
Nuno Júdice


(Bonito texto deste escritor)

12/09/11

Bonito Tema...

  
 Mais uma música para ouvir nas calmas e apreciar as palavras.

Antiguidades...





Estas são algumas imagens de artigos que existiram no meu tempo. Que saudades!!!
Como é agradável de ver. Irei mostrar  mais outras tantas como por exemplo: anúncios que viamos nas nossas televisões.

11/09/11

N'um Album ...

                                                                              
É esta vida um mar; e n'este mar
Qual é o astro que nos alumia?
Que norte, estrella ou bussola nos guia?
Um olhar de mulher! um terno olhar!

~ João de Deus ~


Uma Grande Voz...

11 de Setembro, O Dia Que Mudou o Mundo...


Todos nos lembramos do momento em que dois aviões chocaram com as torres do World Trade Center, em Nova Iorque. O dia que mudou na vida de cada um - ou seja, no mundo. Um acto de puro fanatismo e verdadeira maldade que um ser humano pode causar a outro ser humano. Não consigo entender o que vai na mente destas pessoas que simplesmente destroiem vidas sem qualquer sentimento nos seus corações.