29/01/12

Novas oportunidades/ Processo RVCC, uma Treta!

Neste contexto não compensa absolutamente nada...

Estou neste processo de RVCC através do centro de emprego e só digo que está sendo uma grande seca.Comecei a frequenta-lo à duas semanas e já estou saturada, em duas semanas não fizemos literalmente nada a não ser só conversa por parte dos formadores a relerem os referencias e a falarem das regras que existe no processo, e assim foram 15 horas do nosso tempo desperdiçados para nada. Em 1º- lugar o período de tempo que estava estipulado  para durar o processo era até Maio,agora já vieram-nos dizer que esse tempo passou para Abril, novas alterações da instituição em causa. Ficamos todos a olhar uns para os outros ... afinal o que somos ali? uns paus mandados! como se não bastasse, para além de encurtarem o tempo que estava previsto aumentaram-nos os dias de aulas, em vez de irmos uma vez por semana, passámos a ter mais dias de aulas; ás segundas, sextas e sábados. O que eu achei neste processo de iniciação e também todos os meus colegas de turma, é que todo o processo está muito mal elaborado para fazermos as coisas com pés e cabeça. Perante todos estes factos ainda por cima nos fazem andar a trabalhar nas matérias a todo o vapor... Era só o que me faltava. Eu já disse a mim mesma que vou fazer o que posso e da maneira que sei e, não venham eles dizer que está mal , ou que temos que desenvolver mais os temas, então está tudo estragado pois não vou fazer literalmente mais nada do que está feito por mim; com muitas horas de volta do computador, cansar a minha vista, gastar tinteiros e papel, e mais papel que se desperdiça pró lixo...Nem pensar!
O Estado em vez de estar a gastar dinheiro desnecessário nestas coisas que de nada nos vai valer em situação alguma quando todos nós já estamos numa idade em que ninguém nos quer para trabalhar, deviam-se preocupar em arranjar trabalho a todos os que estão desempregados, inserir as pessoas em cursos profissionais como havia  antigamente em diversas áreas... isso sim, apostarem nestes cursos que estão a desaparecer, profissões que ainda nos tempos actuais são precisos, aos jovens que não querem estudar darem esta oportunidade de ter uma profissão e terem um meio de subsistência pessoal .